Mostrando postagens com marcador Poetas. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Poetas. Mostrar todas as postagens

sábado, 2 de novembro de 2013

Um Poema para Dylan Thomas








Dylan, O Terrível
Dissecador dos sentimentos
Mais intrínsecos do ser
Retalhando pedaços da alma
Impregnados de amor e ódio
Infligindo a dor depressiva
Da lágrima escaldante
Que desliza flamejante
Dos olhos negros de fúria
Terrivelmente intensos
De emoções destruidoras
Guardadas sob a manta da religiosidade
Que jaz na ignomínia e na luxúria
De seus sacerdotes impuros
Maculados pelo pecado imperioso
Da sublime e almejada carne
Suficiente para fazer emergir
Dos caminhos venosos
O sangue da discórdia
Que se espalha rapidamente
E contamina a terra da inocência
Antes, mantida no cárcere do amor
Agora, suplica a volta do seu carcereiro
Lamentando por ter fugido
Da pureza dos sentimentos humanos

Oh! Dylan! Oh! Dylan!
Ser visceral
Visionário da alma
Romântico incorrigível
Por que a morte está em seus poemas?
Se, até hoje, seus poemas vivem!